ligue agora: 0800 643 4443 - de segunda a sexta-feira das 8h às 19h.

CONTRAN determina a não obrigatoriedade do para-choque traseiro

 

O Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN) incluiu no Art.2º da resolução nº 14/1998 o inciso VII que isenta a obrigatoriedade do para-choque traseiro nos veículos citados na lei. Abaixo, listamos quais são os veículos que fazem parte dessa resolução:

 

  • Inacabados ou Incompletos;
  • Caminhões e Tratores;
  • Veículos produzidos especialmente para cargas autoportantes e veículos muito longos que necessitem de Autorização Especial de Trânsito;
  • Veículos onde a aplicação do para-choque traseiro especificado nesta resolução seja incompatível com a sua utilização.
  • Veículos completos das categorias N2* e N3** que possuam para-choque traseiro incorporado ao projeto original do fabricante do veículo automotor;
  • Veículos de uso Bélico;
  • Veículos de Coleção;
  • Exclusivos para uso Fora-de-Estrada;
  • Destinados à exportação;
  • Rebocados destinados ao transporte de cargas indivisíveis.

 

Essa medida tem como objetivo atualizar e aperfeiçoar os itens de segurança nos veículos nacionais e importados, além claro, de minimizar as consequências em caso de acidentes de trânsito que envolvam colisões traseiras.

 

A resolução está em vigor desde o dia 24 de maio de 2016 e com isso acabou com uma velha polêmica que existia sobre a exigência ou não desse item para caminhões.

 

*N2: veículos projetados e construídos para o transporte de cargas e que contenham uma massa máxima superior a 3,5 toneladas e não superior a 12 toneladas.

 

**N3: veículos projetados e construídos para o transporte de cargas e que contenham uma massa máxima superior a 12 toneladas.